quinta-feira, 18 de abril de 2013

PROJETO SALA DE LEITURA "DA EMOÇÃO DE LER A DESCOBERTA DO PRAZER"


PREFEITURA MUNICIPAL DE ABAETETUBA - PA

SEMEC – SECRETÁRIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

 

Escola municipal de Ed. Inf. e Ensino Fundamental

D. Ângelo Frosi

 NIVEL DE ENSINO ATENDIDO: Educação Infantil e Ensino Fundamental

MODALIDADE: Regular

GERÊNCIA DO PROJETO:

                            LYSANEA DE CÁSSIA QUARESMA - DIRETORA

                            ALCILENE BARBOSA DAS NEVES – COORD. PEDAGÓGICA

                            MARIA DA CONCEIÇAO PRAZERES- COORD. PEDAGÓGICA

                            JUCIANE DE JESUS DOS S. MACEDO – COORD. PEDAGÓGICA (EJA)                 

                            

UNIDADE EXECUTORA: SECRETÁRIA MUNICIPAL DE EDUCAÇAO - SEMEC


SECRETÁRIO MUNICIPAL: JEFFERSON FELGUEIRAS


 

AUTORAS DO PROJETO JOSENILDA SANTOS RODRIGUES

                                                       LENI CARVALHO PEREIRA


                                
PROJETO SALA DE LEITURA

 

TEMA:

 

“DA EMOÇÃO DE LER

A DESCOBERTA DO PRAZER”





 “É preciso que a educação seja mais significativa, mais prazerosa e o que se aborda faça algum sentido para o educando, seja do seu interesse, satisfaça suas necessidades bio-psico-sociais e que o prepare para o mundo de hoje.”

(Maria Augusta Sanches Rossini)



I – APRESENTAÇÃO

 
      O presente projeto de sala de leitura intitulado” Da Emoção de ler  a descoberta do prazer “ tem a pretensão de contribuir para a formação de alunos leitores, críticos e participativos,  capazes de interagirem em sua realidade na condição de cidadãos  consciente de sua atuação na sociedade, entendida como pré condição do exercício pleno da cidadania.

A Escola Municipal Dom Ângelo Frosi sempre se preocupou em desenvolver uma educação verdadeiramente comprometida com o ensino de qualidade para todos. No entanto, nem todos os educandos estão conseguindo concluir o ano letivo desenvolvendo uma leitura fluente e compreendendo aquilo que estão lendo com segurança e autonomia.

 Creditamos, assim, que a implementação deste projeto vem favorecer significativamente o processo ensino-aprendizagem visto que se propõe a colaboração para o estímulo da leitura e escrita no interior do espaço escolar e, conseqüentemente, melhorar o desempenho (rendimento) dos alunos em outras disciplinas, já que a leitura está inserida em todo o processo de ensino e no dia a dia dos educandos.

Envolver os alunos cada vez mais no universo que é a leitura de uma forma prazerosa requer muita disposição e compromisso por parte daqueles que desejam construir uma sociedade mais justa e humana. Entretanto, isso exigirá engajamento profundo de muitos: Professores, alunos, pais e comunidade de modo geral, parceiros nessa luta por uma educação de qualidade para todos segurando assim o que dispõe a lei em vigor (LDB nº 9394/96 art. 32 que visa “O desenvolvimento da capacidade de aprender tendo como meio básico o pleno desenvolvimento da leitura, da escrita e do cálculo”).

 II - JUSTIFICATIVA
 
            Sabe-se que a leitura é algo imprescindível para todos. No entanto, muitos ainda a encaram como um “bicho de sete cabeças”, visto que não conseguem entender, compreender e interpretar o que lêem.

            Aprender a ler é antes de tudo aprender a ler o mundo, compreender o seu contexto, não numa manipulação mecânica de palavras, mas numa relação dinâmica que vincula linguagem e realidade. Ademais, a aprendizagem da leitura é um ato de educação e educação é um ato profundamente político.” (Antônio Joaquim Severino)

         Ao  observar à afirmação do referido autor, fica claro que não é possível pensar a educação desvinculada da leitura, pois é esta uma ferramenta de suma importância/indispensável pois compreendemos que através da leitura os educandos terão várias possibilidades de adquirir conhecimento, informação, lazer, cultura e integração social, possibilitando transformações tanto individuais como coletivas. Ademais, a leitura e a escrita são valores importantes para o homem tornar-se cidadão consciente de seu discurso e do poder que tem. Sem esses valores tão indispensáveis nos tornamos seres incapazes de exercer plenamente nossa cidadania.

     Ao olharmos para o interior de nossa escola, podemos observar que muitos de nossos alunos, lêem pouco ou quase nada. Ora, tão importante quanto ler, é compreender o significado do texto lido.

       Há grande queixa por parte dos professores sobre o desinteresse que muitos alunos expressam quando a atividade envolve a leitura, pois muitos decodificam palavras sem a preocupação de entender realmente o que se está lendo. E isso reflete negativamente no baixo rendimento do aluno e, conseqüentemente, na qualidade do ensino.

            O projeto “Da Emoção de Ler, a Descoberta do Prazer” vem com a intenção de proporcionar aos nossos educando condições reais de interação ao mundo letrado, aonde estes venham a descobrir que a leitura traz prazer e emoção aquele que ler. No entanto, não basta apenas se ter a consciência de que a leitura é indispensável à formação do homem, é necessário criar meios para que o ato de ler venha se tornar uma realidade concreta na vida desse indivíduo.


Sabemos, assim, que não será uma tarefa fácil. Mas uma luta constante que exigirá esforço e empenho coletivo por parte dos nossos alunos, professores e, pais de nossa instituição os quais, juntamente conosco, estimularão os educandos a se envolver cada vez mais a fim de assegurar, a estes, as condições essenciais para o desenvolvimento e exercício da sua cidadania.

Então, para que isso ocorra de fato, é de fundamental importância que a escola se veja como instituição responsável por despertar no aluno o interesse e o prazer pela leitura e mais, que ela seja um exemplo de leitor, isto é, que todos os sujeitos envolvidos no espaço escolar tenham comportamento leitor, para que possam estimular aqueles que ainda não têm tal hábito. É necessário também buscar formas de conscientizar as famílias dos educandos para a importância do ato de ler e quem sabe até, tornar aqueles pais que são indiferentes à leitura, em pais leitores. Portanto estimular alguém a ler exige esforço, requer parcerias e compromisso sério por parte de todos os envolvidos no processo educacional.

 III – OBJETIVOS:

            GERAL: Desenvolver habilidades relacionadas à leitura, interpretação e produção de texto estimulando no educando o gosto pela leitura e escrita, ampliando o conhecimento lingüístico e cultural dos mesmos, contribuindo dessa forma, na formação de valores e para a construção da cidadania.

       ESPECÍFICOS:

1-     Despertar o interesse  e o gosto pela leitura e escrita estimulando o hábito diário da leitura.

2-     Ampliar o repertório literário dos alunos por meio da leitura diária.

3-     Conhecer e identificar textos diversos (literários e não literários)

4-     Identificar e relacionar os diversos gêneros literários.

5-     Possibilitar um maior contato entre criança e livro.

6-     Desenvolver atividades interdisciplinares, dialogando com as mais diversas áreas do conhecimento, levando a percepção de que o desenvolvimento de habilidades de leitura e escrita é uma atribuição de todos.

7-     Possibilitar momentos de integração e interação com outras salas como a de informática através da divulgação dos acervos literários da sala de leitura,etc

8-     Divulgar e criar campanhas para estimular os empréstimos de livros.

9-     Elaborar junto com o educando projetos ligados aos temas transversais, visando à discussão dos mesmos e a culminância em eventos da escola: Festival Cultural e outras apresentações.

10-  Relacionar os textos lidos com a vida diária.

11-  Promover momentos de socialização levando o educando a expressar seus sentimentos, experiências, idéias e opções individuais ( elaboração do contrato didático).

12-  Proporcionar aos educandos leituras literárias e oficinas de redação, para o desenvolvimento  da oralidade e da produção textual.

13-  Desenvolver o senso crítico a partir dos livros lidos e relidos.

 
IV – PÚBLICO ALVO:
- Alunos de 2º ao 5º ano.
- Pais e funcionários da escola  

V – META:

O projeto tem como meta alcançar pelo menos 80% dos alunos, estimulando-os a desenvolver o gosto e o prazer pela leitura através do interesse revelado nos empréstimos, nas freqüências e participações das atividades propostas pela sala de leitura.
VI – PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS:

       As propostas metodológicas do projeto serão desenvolvidas durante todo o período letivo e envolverão as seguintes atividades:

·         Levantamento dos recursos disponíveis

·         Planejamento das ações ( dinâmica de sala de aula)

·         Levantamento dos alunos que apresentam dificuldade na leitura através da aplicação de teste diagnóstico individual

·         Apresentação do Projeto a comunidade escolar

·         Rodas de conversas

·         Apresentação e esclarecimento de dúvidas para os alunos da sala de leitura

·         Reconhecimento do espaço da sala de leitura e dos acervos existentes

·         Construção coletiva do Contrato Social ( regras de convivência)

·         A Hora dos Vídeos

·         Exposição oral e escrita das leituras lidas e ouvidas articuladas a vivência diária

·         Divulgação dos acervos literários para o empréstimo de livros

·         Instauração da sala de leitura itinerante, para o professor de sala de aula regular, com exemplares de livros e revistas para a hora do conto e empréstimos e assim estimular a leitura.

·         Gincana da leitura (dia do livro)

·          Reescrever textos lidos e ouvidos

·         Produção de texto através da escrita e do desenho

·         Oficinas de leitura.

·         Debate sobre leitura.

·         Oficina de redação

·         Biblioteca itinerante.

·         A hora do conto.

·         Sarau de poesias.

·         Fazendo poesia: varal.

·         A poesia invade sua sala.

·         Teatro de fantoches abordando temas transversais.

·         Dramatização (datas comemorativas).

·         O dia da leitura na escola (pais e alunos).

  • Recontar estórias utilizando a modalidade oral.
  • Resumir estórias utilizando a modalidade escrita.
  • Ler textos em voz alta, observando a importância da entonação e pontuação para a compreensão do mesmo.
  • Ler um livro infantil em voz alta, dramatizando o mais possível as vozes das personagens, a fim de que o aluno perceba que há variações nas vozes quando se faz uma pergunta, quando se exclama, quando há ódio, amor, inveja, etc.
  • Ler trechos de poesia ou outro estilo literário, alternando com o professor ou outro colega.
  • Observar as situações descritas nos textos e compará-las com o cotidiano, possibilitando ao aluno uma reflexão em relação à própria vida.
  • Criar textos escritos em dupla ou individualmente e apresentá-los aos demais colegas sob forma de seminário.
  • Auto-avaliação
  • Estabelecimento de contato (hora pedagógica) entre professor da sala de leitura e professor da classe regular para troca de informação e experiência.

 OBS: Tais atividades poderão ser programadas para terem sua efetivação nos eventos promovidos pela escola, como o dia do livro, a festa do dia das mães, gincanas, festival cultural ou em sala de aula com apresentação para os demais alunos da escola.

VII I – RECURSOS HUMANOS:

·         Professores lotados na sala de Leitura;

·         Professores de classes regulares e de Ed. Física (2º ao 5º ano);

·         Alunos(2º ao 5º anos), pais e funcionários

·         Alunos voluntários da ERC Cristo Redentor de 8ª série Projeto “ Monitores da Alegria”

·         Parcerias ( autoridades governamentais e não governamentais )

 

IX– AVALIAÇÃO

       Ocorrerá ao longo de todo o ano letivo. Será processual e continuada. A cada etapa do projeto haverá a observação do envolvimento e interesse dos alunos e professores nas atividades propostas que serão registradas nos arquivos da sala de leitura sendo discutidos coletivamente os avanços e as dificuldades durante o processo ensino-aprendizagem.
X - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

_SEVERINO, Antonio Joaquim. Filosofia da Educação: Construindo a Cidadania. Ed. FTD, 1994. 
_Caderno AMAE-Pedagogia de Projetos. Belo Horizonte: Fundação Amae para educação e cultura. Outubro, 2000. Edição Especial.

 _SOARE, Magda. Linguagem e Escola: uma perspectiva social. São Paulo, Ática, 1986.
_Revista Nova Escola. Ed. Abril. Dez/2005.

_LIBANEO, José Carlos; OLIVEIRA, João Ferreira; TOSCHI, Mirza Seabra. Educação Escolar: Políticas estrutura e Organização. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 2005.
_Parâmetros Curriculares Nacionais: Fáceis de Aprender. Revista Nova Escola. Edição Especial.

_KLEIMAN, Ângela B. & MORAIS, Silvia E. Leitura e interdisciplinaridade: tecendo redes nos projetos da escola. Campinas, SP: Mercado das Letras,1999.
_ROSSINI, Maria Augusta Sanches;Aprender tem que ser gostoso...Editora Vozes, 2ª Edição.

 

 

Um comentário: